Qualquer semelhança pode ser mera coincidência…

3-programmingConta a lenda que, quando DEUS liberou o conhecimento da informática para os homens, determinou que aquele saber iria ficar restrito a um grupo muito pequeno e selecionado.

Mas, DEUS, ao expulsar todos do laboratório de análises e pesquisas de software e hardware, lançou sobre suas cabeças e de seus descendentes as seguintes juras:

  1. Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
  2. Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes cinco anos de trabalho.
  3. Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais, terás úlcera.
  4. A pressa será teu único amigo e as suas refeições principaisserão os lanches, as pizzas e o China in Box.
  5. Teus cabelos ficarão brancos antes do resto da população. Se te sobrarem cabelos.
  6. Não terás feriados, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
  7. Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
  8. Teu caráter será mensurado pela quantidade de certificações que tiveres.
  9. Happy hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas na mesma condição.
  10. A quantidade de memória e o processador de teu equipamento serão os diferenciais para que sejas bem visto ou não pelos demais.
  11. Ficarás cego, mas antes sentirás muita dor de cabeça, enxaqueca ou algo que doa muito.
  12. Terás sonhos com modelagem de dados, programação e, não raro, resolverás problemas de trabalho neste período.
  13. A máquina de café será tua melhor colega de trabalho.
  14. Trabalho será teu assunto preferido. Talvez o único.
  15. As pessoas serão divididas em 2 tipos: as que entendem binário e as que não entendem. E verás graça nisso.
  16. Sentirás orgulho por tua tendinite ser mais extensa que a do peão sentado ao lado.
  17. Exibirás olheiras como troféus de guerra.
  18. A cafeína não te fará mais efeito.
  19. Terás um blog.
  20. Terás um twitter.
  21. Deletarás o blog (por tomar muito tempo)
  22. E, inexplicavelmente, gostarás de tudo isso!?!?

Fonte desconhecida. Chegou por e-mail.

Fungo virtual é a nova ameaça aos computadores

Cientistas confirmaram a existência de um novo tipo de praga virtual, que não é vírus nem cavalo de Troia. Pesquisadores de ciência da computação dos EUA estão chamando a descoberta de “fungo de computador”. O descobridor foi Antonio de Marco, professor adjunto da Universidade da Califórnia do Oeste.

De Marco explicou à revista New Science como o fungo digital ataca. De uma maneira análoga aos fungos, mofos e bolores que atacam as fotos em filme e fitas cassete do século passado, o fungo virtual degrada os arquivos de imagem, som e vídeo armazenados nos computadores. “O problema acontece até com arquivos de backup que nunca são acessados”, alerta de Marco. Os cientistas apuraram uma perda média de qualidade de 7% por ano para imagens JPEG, 15% para TIFF e 4% para MP3. Outros arquivos atingidos são os vídeos QuickTime, com 14%, seguidos dos AVI, com 9%.

Arjun Radhakrishnan, doutor de Estudos Aplicados da Computação em Stanford, explicou ao site IT Wire que o fungo virtual não tinha sido detectado até agora porque seus efeitos são graduais e insidiosos. “O usuário típico de PC nunca pensa sobre isso, porque a perda de desempenho do próprio sistema operacional é considerada trivial.” Segundo ele, as pessoas acham compreensível que a música pirateada do Napster em 2000 soe mais abafada com o tempo, assim como as imagens pornôs baixadas da Web fiquem menores e mais sujas. Arquivos de Photoshop abrem com as cores inexplicavelmente erradas, escurecem e desbotam. Vídeos abrem em janelas minúsculas. Até textos podem se deteriorar, tendo os caracteres acentuados trocados.

Tudo isso seria uma variedade de sintomas do fungo digital. Os efeitos são visíveis ao se comparar uma foto digital com a cópia em papel de quando ela era nova. “Houve uma degradação progressiva de quase todos esses materiais, e muitos poderão não resistir em forma aproveitável até a próxima década”, alerta Radhakrishnan.

A transmissão do mal não parece ser causada por hackers. Fatores ambientais podem estar envolvidos. A chance é maior em casas com mais de um computador pessoal por cômodo. O uso de telefones celulares ou a presença de televisores de plasma e ar condicionado também podem ser fatores de risco.

Enquanto não surge uma solução comercial em software, a recomendação dos pesquisadores é fazer cópias diárias de seus arquivos e guardá-los em mídias mais antigas e duráveis, como CD-R ou disquete; transcrever os vídeos ripados de DVD para VHS; enviar todas as fotografias para o laboratório para serem copiadas em papel. “É a única maneira garantida de assegurar maior longevidade para os seus dados digitais”, afirma de Marco.

Atualização às 11:45:

Hoje, o Instituto Bill e Melinda Gates anunciou a doação de US$ 28,6 milhões para o combate ao fungo.

Fonte: Rainer Brockerhoff’s Weblog (Em inglês), Geek.com.br, Mac+ e Yahoo! Notícias.

Funcionários da Microsoft são descartados

Visto primeiro em Malvados.

Porto Alegre por vídeo chamada

Acabo de receber a seguinte SMS da VIVO:

“O que você mostraria de POA por vídeo chamada do seu VIVO 3G e por que? Envie sua resposta (…) e concorra a 2 Nokia N95 (…)”

Minha resposta para a promoção seria:

“Querida Vivo, eu não mostraria nada de POA por vídeo chamada do meu VIVO 3G. Não por achar a cidade feia, pelo contrário, mas pq meu iPhone não suporta esta modernidades”

Mas é claro que não mandarei isto, a obra lá de casa já terminou e não estou mais precisando de tijolos.

Vivo abraça os navegadores de verdade

Depois que o Geek42 publicou um polêmico post com a resposta da Vivo sobre o suporte dos navegadores Firefox e Safari (na verdade a falta de…) em seu site, a empresa prometeu que até o final de Janeiro sua página estaria corrigida e compatível com os padrões web.

Não só prometeu, como cumpriu. Hoje a Vivo publicou em seu blog que o seu site já está funcional, inclusive, com o Safari Mobile, do iPhone.

Parabéns, Vivo. Obrigado por ouvir os teus clientes.

Simulação de Física no iPhone

Depois que um simulador de física foi banido da AppStore, um grupo de desenvolvedores criou uma aplicação ainda mais interessante, o Wooble.

O Wooble (abre no iTunes) implementa o mesmo tipo de simulação do aplicativo banido. Entretanto, seu diferencial é que permite escolher a imagem que sofrerá sobre os efeitos da gravitação e das variações impressas no acelerômetro do dispositivo. Assista o vídeo abaixo e tire suas próprias conclusões:

Fonte: Gizmodo.

Simulação de Física banida do iPhone

Um programador nerd desenvolveu um aplicativo de simulação baseada em Física que foi banido da AppStore. O aplicativo simula a elasticidade de tecidos sob ação da Força da Gravidade, além de explorar o acelerômetro do dispositivo.

Observe o vídeo:

Resta saber se foi banido por ordem da Apple ou do Newton, pai da gravitação, que não gostava muito do tópico em questão.

Visto primeiro no vizinho Blog do iPhone.

Ladrão de Orkut ou o Preço da Curiosidade?

20081217-f4wessdicqfia2x3jk5g8ybgf1

Um amigo acabou de me mandar um e-mail dizendo que caiu numa cilada pelo Orkut (www.orkut.com) e inclusive enviou o screenshot acima (clique para ampliar) para ilustrar o problema que enfrentou.

Tem uma pessoa que está deixando Recado (Scraps) para todo mundo do tipo “Oi”, mas é claro que o conteúdo da mensagem pode variar. Simples né? Receber um scrap é realmente comum, mas o pior está por vir.

O problema é que, como não se conhece a tal pessoa, a curiosidade acaba falando mais alto e forçando a clicar na foto para ir até o perfil da criatura. Ao entrar no perfil, ele desconecta da página do Orkut, e redireciona para uma página de login (pedindo por usuário e senha). Só que, a página é falsa (fácil de detectar, pois o endereço não é www.orkut.com, e sim algo bizarro). Ao tentar colocar o usuário e senha do Orkut, ao invés de entrar no Orkut, os dados são enviados para o Filho da Mãe que rouba o usuário e senha.

Então fica o aviso, cuide os links que enviam para você pelo Orkut; e muito cuidado ao detectar comportamentos estranhos no Orkut. Evite digitar a senha e o usuário do Orkut sem ter idéia de pq o site está pedindo estas informações.

Explique isto para as pessoas que vocês tem contato. Se precisar, aponte para a barra de endereço para mostrar para elas o que é, e o que deve estar escrito o endereço correto (www.orkut.com) para que elas saibam também como se proteger.

O principal problema deste tipo de ataque é que ele é instantâneo. Uma vez que caiu, não tem volta. Não é como um vírus que pode ser removido. É algo como, digitou o endereço, o Filho da Mãe recebeu sua senha por e-mail.

Portanto, sempre preste atenção para ver se o endereço da página é realmente www.orkut.com ou www.orkut.com.br. Se for algo diferente disto, como na imagem do início do post, é de alguém tentando roubar a sua senha.

Não vou explorar neste post como o ataque é feito, pois é muito simples. Esperamos que a Google resolva isto o quanto antes. É uma falha gravíssima e facílima de ser explorada.

E antes que perguntem, sim, o uso de www.orkut.com inúmeras vezes durante o post foi para reforçar que o endereço do Orkut é www.orkut.com.

Aplicação para iPhone que fornece Cortar-e-Colar tem problemas de segurança

Security

Essa foi ótima, nem sabia que essa aplicação existia, mas depois de ver um post na web de um blogger reclamando que conseguia ver emails alheios (e que por consequencia alguem conseguia ler os seus) fui ver como isso funciona. 

A Apple não fornece API para usar memória temporária local para cortar e colar entre aplicações então esse aplicativo acaba postando os dados que o usuario corta em um servidor da web para colar em outro aplicativo depois. Parece ser uma solução boa, pois só parece. Afinal, tu estas confiando seus dados a um servidor externo, a  uma empresa totalmente desconhecida (isso se nao for apenas uma empresa de 1 cara só) e ainda quer que todos os dados sejam tratados como sigilosos? 

Acho que a falha principal vem da Apple que não disponibiliza em sua API uma forma simples e comprovadamente segura de copiar e colar. Porém, achar que usando um servidor externo seria uma forma legal de “burlar” essa limitação também não foi uma das idéias mais brilhantes da empresa, ainda mais que não usa qualquer tipo de criptografia. Toda a segurança se baseia em um email randomico criado por usuario, o que é muito, mas muito fraco em termos de segurança. E ter um bug que indiscriminadamente cola dados que não são seus torna a coisa ainda pior. Entretando, após contatado pelo usuário do blog linkado no fim do post, o problema foi corrigido pelo desenvolvedor. Mas fica o alerta, veja bem de quem tu compras as aplicações e qual o uso dado a elas. Se segurança da informação é importante para ti, então veja muito bem como as informações são tratadas. 

Fonte: Technologizer

DRM acaba mesmo com a pirataria?

Arrrr mateEu acho engraçado quando dizem que a maneira de acabar com a pirataria na informática é criar mecanismos de DRM restritivos. Parece que não sou apenas eu que pensa assim. Spore, um dos jogos mais polêmicos de 2008 devido a seu DRM extremamente restritivo, foi também o jogo mais pirateado do ano.

Na lista, 4 dos jogos possuem a proteção SecuROM, que é comercializada como o melhor esquema de proteção de jogos. Parece que não faz o serviço direito se os jogos ainda são possíveis de piratear, não? Alias, não seria por TEREM a proteção que as pessoas tentam piratear?

Continue reading

Livraria Cultura no seu iPhone

LIvraria Cultura no iPhoneA Livraria Cultura (a melhor na minha opinião, ao menos em Porto Alegre) saiu na frente e lançou seu aplicativo para iPhone, o Cultura. O aplicativo já está disponível na App Store da Apple e permite ao cliente comprar do próprio telefone, livros, CDs e DVDs de forma extremamente segura e confiável (utiliza encriptação de 128 bits). O Cultura permite também consultar toda a base da livraria e ainda a programação de eventos das suas unidades.

O mais bacana é que, além da aplicação ser muito útil, ela foi pensada para não consumir banda de forma excessiva, como a própria livraria descreveu no post do blog.

Parabéns pela iniciativa, Cultura, mas ainda prefiro ir até a loja física de vocês.

Fonte: Plantão Info.

Geek42 e HDM no teu iPhone

O Geek42 e seu irmão Hora do Mac acabam de ganhar uma versão exclusiva para usuários de iPhone e iPod touch. Para acessar a página otimizada para o Safari do dispositivo, basta entrar normalmente no sites. É informação na palma da tua mão!

Geek42 e HDM no iPhone

Lembrando que o Hora do Mac é um Podcast especializado no mundo Mac e já foi apresentando aqui no Geek42.

Dê adeus aos Torrents e aprenda a tirar o máximo de sua Banda Larga

Flickr Photo Download_ Pirate For President-1.jpgAposto que a maioria de vocês utiliza BitTorrent para baixar arquivos da Internet. Não vou entrar no mérito do conteúdo que vocês baixam, pode ser arquivos que não infringem direitos autorais ou filmes do Rocco Siffredi, não vem ao caso. O problema é que baixar arquivos torrent tem ficado cada vez pior, ao menos aqui no Brasil. Os provedores têm imposto bloqueios de P2P (peer-2-peer) para impedir que as pessoas utilizem o protocolo. A Virtua é conhecida por essa prática, que também se aplica para quem usa Emule. Muitos tentam trocar a porta dos clientes BitTorrent, encriptar os cabeçalhos, etc. O fato é que essa está longe de ser a melhor solução, pois duvido muito que vocês utilizem o máximo da sua conexão o tempo inteiro. Até achar um bom conjunto de seeds, contando que seu provedor não esteja limitando, demora!

A boa notícia é que existe uma luz no fim do túnel, a Usenet. Usenet vem do inglês Unix User Network, é uma rede antiga de NEWS criada em 1979 que funciona até hoje pelo protocolo NNTP. Talvez muitos de vocês conheçam ela do passado, os mais novos certamente não conhecem. Apesar de ser uma rede de “artigos” postados em uma forma parecida com e-mails, ela tem tanto quanto conteúdo têm nos torrents, ou mais! O único limitador, é que a Usenet é paga. Mas vamos falar um pouco de como funciona e depois entro em detalhes do preço; que por sinal, acho que vale muito a pena.

Continue reading

Youtube Widescreen

O Youtube, o mais popular site de vídeos na Internet, alterou o formato de seu reprodutor que agora permite reprodução de vídeos em formato widescreen (com aspect ratio de 16:9).

A nota no blog oficial diz:

Estamos expandindo a largura da página para 960 pixels para refletir melhor a qualidade dos vídeos que você cria e assiste. Este novo e mais largo reprodutor está em widescreen e esperamos que venha proporcionar uma melhor experiência de visualização.

A mudança veio tarde, pois sites como Vimeo e Blip.tv já apresentam suporte widescreen há algum tempo. Entretanto, a mudança deve ter outro motivo: a parceria com a Metro-Goldwyn-Mayer para exibir filmes completos no site.

Sem Podcasts para usuários brasileiros de iTunes, iPhone, iPod

Com a recente chegada da versão 2.2 do iPhone OS, uma das funcionalidades mais esperadas e comentadas, e que foi inclusive discutida em um HDM recente, foi disponibilizada: “pegar Podcasts” diretamente do iTunes no iPhone ou iPod Touch.

Teve até aquela história da enorme sacanagem que a Apple aprontou há um tempo, rejeitando na App Store o excelente aplicativo Podcaster (hoje disponível para os usuários jailbreakers) acusando o aplicativo de “duplicar recursos do iTunes” (que na época não tinha o recurso de fazer download de Podcasts no iPhone OS).

Podcast Directory para brasileiros

Há vários comentários em blogs, sites de notícias e etc. sobre a funcionalidade. Eu só não entendo muito bem a felicidade dos usuários brasileiros com a “novidade”. Para quem ainda não percebeu, eu vou contar um segredo: usuários brasileiros não têm acesso à iTunes Store, e o Podcast Directory está associado à iTunes Store, e portanto usuários brasileiros, com contas brasileiras, não têm acesso a Podcasts! Este mesmo problema acontece com o próprio iTunes (não precisa ser o iTunes do iPhone OS).

Talvez a maioria dos brasileiros esteja usando contas não-brasileiras (o que é curioso, no mínimo) e não tenha percebido o problema. Ou talvez a maioria esteja usando aplicativos “pirata” e portanto não tem um cadastro na iTunes Store (curiosamente, sem qualquer cadastro o Podcast Directory pode ser acessado). Ou ambos :-)

Para quem, como eu, tem uma conta “brasileira” e assina Podcasts e usa a App Store, o contorno é no mínimo muito idiota (mas eu preciso passar por isso no iTunes do desktop ocasionalmente): trocar temporariamente para a iTunes Store americana, assinar os novos Podcasts que eu quero assinar, e depois voltar à loja brasileira (de onde eu compro os aplicativos pela iTunes App Store).

Talvez seja um “bug”, ou talvez mais um daqueles casos de “burrocracia”, ou ambos.

Certamente será um tema debatido no próximo HDM.